`

Dicionário de sexualidades: um guia incompleto

Rola toda uma carência de textos em português sobre sexualidades diferentes das consideradas mais prototípicas e, por isso, resolvi escrever isso aqui, bem direto ao ponto, tipo um dicionário mesmo. Antes de ler, mantenha em mente que você não é obrigado/a: 1) se encaixar em um desses termos; 2) se limitar a esses termos; nem 3) vir encher meu saco se achar o uso desses termos uma grande besteira. :D

Um adendo: Eu fiz meu mestrado sobre amor e relações amorosas (sou Mestre em Amor™, risos) e foi estudando pra isso que aprendi boa parte do que escrevi aqui — o resto foi vivendo, sendo demi e conversando com outras pessoas. Assim sendo, minhas fontes são grupos de afinidade, o site Asexuality, a vida e tudo que li ao longo da minha pesquisa (se quiser ler minha dissertação, ó, clica aqui, e procura meu nome). Como o próprio título indica, esse é um guia incompleto e não poderia ser diferente disso, pois ainda há muito a se entender e debater sobre o tema. Notas e contribuições são bem-vindas e pretendo adicionar edições ao texto sempre que pertinente. Adoro discutir essas questões; conversem comigo.

Agora vamos começar:

Tipos de atração

Sexual — Atração que dá vontade de se relacionar sexualmente com alguma pessoa.

  • Atração sexual primária — Atração sexual que se sente apenas pelo que está instantaneamente disponível em uma pessoa (aparência física, por exemplo).
  • Atração sexual secundária — Atração que se desenvolve ao longo do tempo, em uma relação com a pessoa.

Romântica — Atração que dá vontade de ver filme no Netflix enquanto come pizza com a pessoa. Brinks (ou não). Insira aqui o que você considera se relacionar romanticamente com alguém.

Estética — Atração pela aparência da pessoa, não necessariamente conectada a uma atração sexual, sensual ou romântica.

Sensual — Atração que dá vontade de contato físico, não necessariamente sexual, com outra pessoa. Pode se resumir a abraço, conchinha, cafuné etc.

Emocional — Atração que dá vontade de conhecer a pessoa melhor, estar com ela por mais tempo. Pode se desenvolver para uma atração romântica, sexual, sensual, pode se limitar a uma amizade. É o tipo de atração que existe em qualquer relacionamento próximo.

Intelectual — Atração pela forma de pensar de uma pessoa, aquela que te faz pensar “Fulana é F*DA”.

Termos para se referir à orientação/atração sexual

Alosexual — São alosexuais pessoas que sentem atração sexual — considerado norma.

Assexual — São assexuais pessoas que não sentem atração sexual. Podem sentir outros tipos de atração e ter vida sexual, mas não experienciam atração sexual.

Heterossexual — São heterossexuais pessoas que sentem atração sexual apenas por pessoas do gênero oposto.

Homossexual — São homossexuais pessoas que sentem atração sexual apenas por pessoas do mesmo gênero.

Bissexual — São bissexuais pessoas que sentem atração sexual por pessoas do gênero masculino e pessoas do gênero feminino.

Pansexual — São pansexuais pessoas que sentem atração sexual por outras pessoas, sem distinção de gênero.

Demissexual — São demissexuais pessoas que só sentem atração sexual quando há um vínculo emocional/psicológico/intelectual com outra pessoa. Ou seja, essas pessoas (oi!) não sentem atração sexual desvinculada de atração emocional. (Para mais sobre demissexualidade, indico o texto que escrevi para a Capitolina.)

Graysexual — São graysexuais pessoas que raramente sentem atração sexual.

Litossexual — São litossexuais pessoas que sentem atração sexual sem vontade de serem correspondidas.

Termos para se referir à orientação/atração romântica

Arromântico — São arromânticas pessoas que não sentem atração romântica.

Heterorromântico — São heterorromânticas pessoas que só sentem atração romântica pelo gênero oposto.

Homorromântico — São homorromânticas pessoas que só sentem atração romântica pelo mesmo gênero.

Birromântico — São birromânticas pessoas que sentem atração romântica por pessoas do gênero masculino e pessoas do gênero feminino.

Panromântico — São panromânticas pessoas que sentem atração romântica por outras pessoas, sem distinção de gênero.

Demirromântico — São demirromânticas pessoas que só sentem atração romântica quando há um vínculo emocional/psicológico/intelectual com outra pessoa.

Litorromântico — São pessoas que sentem atração romântica, mas sem vontade de serem correspondidas.

Outros termos

Queer — O grande lance do termo “queer” é fugir das categorias previstas. Se você não se encaixa em nenhuma das categorias disponíveis e nem acha que as categorias deveriam existir e quer mais é desconstruir a p**ra toda, você pode se dizer queer. Você pode ter uma orientação sexual queer (indefinida) e você pode também ter um gênero queer (não se encaixa no binarismo masculino/feminino). É um termo, acima de tudo, muito abrangente, em especial para quem prefere rejeitar rótulos.

Monorromântico — São monorromânticas pessoas que só se envolvem romanticamente com uma pessoa de cada vez.

Poliamoroso — São poliamorosas pessoas que se envolvem afetivamente/romanticamente com mais de uma pessoa por vez.

Monogâmico — São monogâmicas pessoas que se envolvem sexualmente com apenas uma pessoa de cada vez.

Poligâmico — São poligâmicas pessoas que se envolvem sexualmente com mais de uma pessoa por vez.

Sex positive — Termo utilizado para se referir a como pessoas assexuais lidam com sexo. São sex-positive assexuais que sentem prazer com sexo.

Sex neutral — Termo utilizado para se referir a como pessoas assexuais lidam com sexo. São sex-neutral assexuais que são indiferentes a sexo.

Sex repulsed — Termo utilizado para se referir a como pessoas assexuais lidam com sexo. São sex-repulsed assexuais que sentem repulsa, aversão a sexo.

Desejo sexual primário — Desejo de se relacionar sexualmente para obter prazer sexual e/ou satisfação emocional.

Desejo sexual secundário — Desejo de se relacionar sexualmente por motivos diferentes de prazer ou satisfação (ter filhos, agradar a outra pessoa etc.).

Libido X Atração sexual — A libido é basicamente o tesão, a vontade de fazer sexo. A atração sexual é esse desejo direcionado a alguma pessoa. Pessoas assexuais, graysexuais e demissexuais podem sentir desejo sexual, mas não sentem atração (no caso dos assexuais) ou só sentem raramente (graysexuais) ou quando há um vínculo (demissexuais).

Atração/orientação sexual X Prática/comportamento sexual — A atração/orientação sexual diz respeito apenas a ela própria; ela não necessariamente delimita as práticas e o comportamento sexual. Por exemplo, uma pessoa assexual pode trabalhar na indústria pornográfica; uma pessoa homossexual, se transa com alguém do gênero oposto, não deixa de ser homossexual; uma pessoa demissexual é perfeitamente capaz de fazer sexo com alguém com quem não tem vínculo; uma pessoa alosexual não deixa de ser alosexual se passar anos em celibato. E por aí vai.

*Sexo X Gênero — Em termos bem simples (a discussão vai muito além disso), o sexo é considerado a designação médica de acordo com o órgão sexual (pênis = masculino; vagina = feminino) e o gênero é socialmente construído (homem, mulher, independente de pênis ou vagina e designação médica).

  • Cisgênero — pessoas cujo gênero está em concordância com a designação médica de sexo.
  • Transgênero — pessoas cujo gênero está em discordância em relação à designação médica de sexo.

*Ressalto que: essa questão sexo X gênero vai muito além do que foi colocado aqui e merece um texto à parte, especialmente escrito por alguma pessoa trans, que entende identidade de gênero melhor do que qualquer um.

Exemplos de combinações possíveis

  • Heterossexual arromântico: pessoa que sente atração sexual por pessoas do gênero oposto, mas não sente atração romântica por ninguém.
  • Homossexual demirromântico: pessoa que sente atração sexual por pessoas do mesmo gênero e só sente atração romântica quando forma um vínculo emocional/psicológico/intelectual.
  • Demissexual birromântico: pessoa que só sente atração sexual quando forma um vínculo emocional/psicológico/intelectual e sente atração romântica pelos gêneros masculino e feminino.
  • Assexual panromântico: pessoa que não sente atração sexual e sente atração romântica por pessoas, independente do gênero.
  • Assexual arromântico: pessoa que não sente atração sexual nem atração romântica por outras pessoas.

E você pode continuar à vontade a brincadeira de combinar identidades!

(Imagina só o sucesso que eu [não] faria no Tinder se escrevesse na bio que eu sou mulher cisgênera demissexual, heterromântica, monorromântica e, por ser demissexual e monorromântica, acabo sendo também monogâmica, porém estou em uma relação livre?)

Dúvidas frequentes

Assexuais/demissexuais/graysexuais se masturbam?

Alguns sim, alguns não. Depende muito da frequência com que a pessoa sente desejo sexual (não atração sexual) e pode se restringir a uma necessidade física, como fazer xixi.

Assexuais são frígidos?

Preconceito bobo, muito bobo. A excitação e o prazer sexual são respostas do corpo, caso a pessoa escolha fazer sexo e experimentar o tal prazer. Sentir ou não excitação e prazer não tem nada a ver com a orientação sexual da pessoa que, nesse caso, consiste em não sentir atração sexual, mas não limita nem determina sua atividade sexual.

Arromânticos são pessoas frias?

Outro preconceito bobo. Ser arromântico significa apenas que a pessoa não sente atração romântica, não significa que a pessoa é incapaz de gostar e se importar com os outros. Não confunda arromântico com falta de empatia, com psicopatia.

Ser demissexual não é só querer conhecer a pessoa melhor antes de transar com ela? Mas todo mundo não prefere assim?

Já li muitas críticas à demissexualidade que passavam por esse erro bobo de conceituação, de achar que ela se resume a só querer sexo com envolvimento, levando muitas pessoas a fazerem comentários bastante desrespeitosos (mas desrespeitar sexualidade dos outros não é novidade nenhuma no mundo, né). Querer conhecer uma pessoa melhor antes de transar, preferir sexo com amor, escolher só fazer sexo depois do casamento e outros comportamentos do tipo não têm nada a ver com a orientação demissexual. Ser demissexual é só sentir atração quando há um vínculo; não significa que a pessoa não pode transar sem esse vínculo. Não é moralismo e também não é “igual ao que todo mundo faz”. Afirmar isso é tão ignorante quanto seria achar que é sentir tesão pela Demi Lovato.

Também já li análises longas sobre como faz sentido que a demissexualidade surja em um contexto de amores líquidos, pois as pessoas acabam sentindo falta de criar vínculos e buscam por relações mais significativas. Mais uma vez, análise baseada em um conceito errado de demissexualidade. Escolher esperar o desenvolvimento de um vínculo com uma pessoa por quem você sente atração para enfim se relacionar sexualmente com ela é diferente de só sentir atração depois de já ter desenvolvido o tal do vínculo. Em outras palavras, se você já sentiu vontade de transar com uma pessoa que você não conhecia muito bem, você não é demissexual (independente de você ter transado com ela de cara ou ter decidido esperar).

É normal ser assexual/demissexual/pansexual/qualquer-coisa-que-não-heterossexual?

SIM. A sociedade nos ensina que o normal é ser hétero e monogâmico e formar uma família nuclear. Qualquer coisa fora desse protótipo é considerada desvio do padrão. Ter qualquer uma dessas orientações sexuais é tão normal quanto ser mãe solteira, casal sem filhos, respirar oxigênio. As orientações sexuais são NATURAIS e não são doença. O conceito de normal e a definição do que é e do que não é normal são CONSTRUTOS SOCIAIS que criam exclusões, que geram discriminação que vão de apagamento à violência física. Não seja a pessoa que apaga e/ou violenta a identidade do amiguinho só porque você deu a sorte de ser prototípico segundo à lógica socialmente dominante.

Os termos listados aqui são só um apanhado geral. Há muitos outros termos e aposto que, com o tempo, haverá mais ainda. Como você se identifica? Deixe um comentário! Se tiver dúvidas, questões ou se só quiser conversar sobre sua sexualidade, também pode entrar em contato comigo. Notas e sugestões de edição ao texto também são bem-vindas.

Acha tudo isso uma grande besteira e que as pessoas não têm mais o que inventar e cada hora é um nome diferente? Está se coçando para fazer piadinha e pouco caso? Faça um favor a nós dois: finja que tem mais o que fazer e não deixe comentário! :D


A assinatura mensal da Comum dá acesso a parte fechada, que inclui as trilhas, o fórum, encontros só pra comunidade (on e offline) e desconto em encontros abertos ao público. Você pode pagar R$40/mês ou financiar uma mina que não possa pagar, com R$80/mês. Saiba mais aqui.


Laura Pires é professora de inglês, escritora e pesquisadora especializada em amor e relações amorosas. Uma das fundadoras da revista Capitolina, atualmente escreve como freelance para o site da Revista Tpm e publica textos mensais no Medium.

Área de login
Bem-vinda, (First Name)!

Esqueceu a senha? Mostrar
Entrar
Acessar área logada
Meu perfil Não é usuária? Cadastre-se Sair