`

6 livros infantis que vão abrir os horizontes dos seus filhos (e seus) sobre família, amor e sexualidade

É só olharmos com um pouco de atenção ao redor e dá pra notar, nas pequenas coisas: a família padrão está por todo lado, e com ela, alguns preconceitos e estereótipos. Tem também a reafirmação constante dos símbolos da dicotomia de gênero que marcam os espaços familiares tradicionais: a função da mãe, a função do pai. 

Se a diversidade não é exposta, se outras narrativas não são contadas com afinco e naturalidade, se novas configurações familiares não são colocadas com possíveis, o status quo impera. Vira lei e oprime.

A gente não conta pras crianças daquele tio gay. Ou da tia que resolveu ficar solteira porque preferiu assim. Ou daquela outra que casou 6 vezes e segue numa vida afetiva intensa e cheia de dramas. Da prima que não pode ter filhos. Da outra que preferiu não ter porque não. Daquele amigo da família que descobriu uma traição da esposa, separou e depois se casou de novo com a namoradinha de infância, que já tinha 4 filhos e eles, juntos, adotaram mais um, negro e periférico. 

Essa é a vida. Múltipla e cheia de histórias bonitas.

Trazer essa diversidade e abertura pras crianças gera um mundo de benefícios, mensuráveis e não mensuráveis. Pras meninas, liberta. Liberta saber que pode gostar de outra menina, de menina e menino. Que pode gostar de sexo como pode não gostar. Que pode escolher casar ou ficar solteira, e que ser mãe não é algo compulsório. Que o valor dela não está nas relações afetivas.

Pros meninos, liberta também. Mais que isso, amacia e afaga. Saber que pode ter interesse em outro homem, e se não tiver, pode ser carinhoso e amigo mesmo assim. Que pode cozinhar, e isso não vai fazer dele menos homem. E que vale embalar um neném também, porque um dia ele pode querer ser pai.

Quando ouvem outras histórias - ou idealmente, convivem com elas na vida real - as crianças se tornam mais empáticas. Adultos menos machistas e LGBTfóbicos. Mais tolerantes. Chance enorme de sofrerem menos quando perceberem que estão fugindo de algum padrão imposto. Ou seja: de serem mais felizes.

Vamos começar a brincadeira?1.

1. A princesa e a costureira

O livro conta a história da princesa Cíntia, prometida em casamento pro Febo, príncipe do reino vizinho. Na época da cerimônia, ela se apaixona pela costureira encarregada de fazer o seu vestido. Lindo, financiado no Catarse, pauta uma discussão importante sobre a diversidade e os direitos LGBTs.

2. Joana Princesa

Da mesma autora, Janaína Leslão, esse livro gira em torno de uma princesa adolescente que foi chamada de príncipe João ao nascer, e mais tarde começa a refletir sobre sua identidade de gênero.

3. Meus dois pais

Conta a história de Naldo. Quando seus pais se separam, seu pai passa a dividir o apartamento com Celso, um amigo que cozinha muito bem. Traz à tona discussões sobre a família heteronormativa de um jeito bonito que só.

4. Meu amigo Jim

Conta a história da amizade entre um pássaro todo branco e outro, estranho, todo preto. É uma parábola sobre as diferenças.

5. Tudo por você

Conta a história do Rafael, um garoto gente boa que sofre bullying pelo fato de ser gay. Ele e o amigo Pedro enfrentam, juntos, a barra de assumir a diferença.

6. A Bela e a Adormecida

Uma releitura infantojuvenil dos clássicos do conto de fadas, escrita por Neil Gaiman e ilustrada por Chris Riddel. Nessa versão, a Bela Adormecida é acordada por um beijo da Branca de Neve.

Vamos lá? Por uma geração mais tolerante e feliz.


A assinatura mensal da Comum dá acesso a parte fechada, que inclui as trilhas, o fórum, encontros só pra comunidade (on e offline) e desconto em encontros abertos ao público. Você pode pagar R$40/mês ou financiar uma mina que não possa pagar, com R$80/mês. Saiba mais aqui.


Anna Haddad é co-fundadora da Comum. Escreve pra vários veículos sobre educação, colaboração, novos negócios e gênero, e dá consultorias ligadas à comunidades digitais e conteúdo direcionado pra mulheres.

Área de login
Bem-vinda, (First Name)!

Esqueceu a senha? Mostrar
Entrar
Acessar área logada
Meu perfil Não é usuária? Cadastre-se Sair