`

8 mentiras que nos contam sobre amizade entre mulheres

Se você é mulher já ouviu alguém dizer para você tomar cuidado com outras mulheres. As pessoas dizem isso sem pensar duas vezes. E ainda completam dizendo que mulheres são falsas, competitivas e que não medem esforços, como derrubar você, para alcançar o que querem.

Já é absurdo dizerem algo assim, sendo que pessoas são diferentes umas das outras, independente do gênero. Mas mais absurdo ainda é falarem essas coisas sobre mulheres para você, que é mulher. É aquela velha ideia de dizer que você é diferente das outras, que é única e que não deve se misturar com aquelas “mulherzinhas”. Adivinha quem sai ganhando com isso? Não é você.

A verdade é que pode ser que você se decepcione ao ter amizade com outra mulher, mas as chances disso acontecer são as mesmas de você se decepcionar com seu amigo homem. Pessoas podem nos decepcionar, simples assim.

Em 2015, a atriz Jane Fonda disse em uma entrevista:“Tenho amigas, logo existo”. A dica dela para manter uma amizade entre mulheres é simples: “É preciso usá-la [a amizade] muito”. Isso é sobre confiar, trocar, criar e fortalecer laços. Tudo o que a gente acredita aqui na Comum.

Então, pra esse dia do amigo, escolhemos algumas frases daquelas que a gente não aguenta mais ouvir, mas que são repetidas geração após geração e vão construindo um mundo que mantém as mulheres separadas. Vamos lá.

1 - Não se pode confiar em mulheres

Essa não é uma total mentira. Não se pode confiar em algumas mulheres, assim como não se pode confiar em alguns homens. Existem pessoas incríveis e pessoas horríveis, só que nada disso tem ligação com ser mulher.

Você pode, sim, confiar em outras mulheres. No fórum da Comum fazemos isso o tempo inteiro: abrimos o coração, pedimos e damos ajuda, contamos nossas histórias e criamos um universo só nosso.

2 - Sua amiga vai se interessar pela mesma pessoa que você

Antes de tudo, a vida feminina não se resume a se interessar romanticamente por pessoas. A gente faz tantas outras coisas e tem tantos outros interesses que o interesse por alguém parece algo pequeno demais para pautar uma amizade.

Pode acontecer? Claro! Assim como pode ser que um amigo seu se interesse pela mesma pessoa – vamos lembrar que nem todo mundo se interessa apenas pelo sexo oposto, amores – e nem por isso vocês deveriam brigar ou competir.

A amizade vale mais do que uma boa noite de sexo ou um relacionamento que você nem sabe se vai dar certo, não?

3 - Mulheres são rivais

Dizem pra gente, a vida toda, que temos um pedacinho do mundo para chamar de nosso. Todo restante é dos caras. E aí a gente vai achando que precisa disputar esse espaço. Mas, espera aí: o mundo todo pode ser nosso. Quando a gente se dá conta disso passamos a entender que não faz sentido lutar por migalhas. O que a gente precisa é se unir, juntar o que há de melhor em cada uma e conquistar cada vez mais espaços.

Tudo isso é construção, é o que somos ensinadas desde crianças. Mudar essa lógica é difícil, mas não impossível. É preciso estar atenta o tempo todo e não permitir que as pessoas coloquem a gente para brigar.

Mulheres não são rivais, o mundo que está louquinho para ver a gente lutando num ringue de lama. Não vamos dar esse prazer, né?

4 - Mulheres falam mal uma da outra

Existem mulheres e homens que estão tão insatisfeitos com a própria vida que sentem necessidade de falar da vida alheia. Conheço mulheres assim, mas também conheço homens. Mais uma vez, não tem nenhuma ligação com gênero, apenas com não gostar de quem se é.

5 - Mulheres competem para ter uma melhor aparência que a outra

De novo a ideia de que o mundo feminino se baseia em aparência e conquista amorosa. Por favor! E tudo isso vem daquela ideia de que “mulheres se arrumam para impressionar outras mulheres”. Nada disso! Mulheres querem estar bonitas para se sentirem bonitas. Simples, não?

O mais maluco é que isso vai sendo construído na gente de fora para dentro. Uma amiga me contou que sempre que ia sair com a prima o tio dizia: “vamos ver quem está mais bonita”. Isso vai criando um competição que não existia: ninguém quer perder o tempo todo. Nada disso está dentro de nós, então a gente precisa não deixar que seja construído ou incentivado.

6 - Mulheres são falsas

Essa ideia vem lá dos primórdios da sociedade, quando mulheres ficavam restritas ao lar. Essas mulheres não tinham nenhum poder formal, então como elas conseguiam as coisas que queriam? Pelas beiradas. Pronto, isso já virou uma característica inquestionável. Não! Isso era uma artimanha pela sobrevivência.

O problema é que a gente foi carregando essa ideia ano após anos sem entender muito bem o motivo e conectou essa característica às mulheres. Não é verdade. Mulheres são tão fiéis quanto os caras.

7 - Mulheres não são tão parceiras quanto os homens

Existe essa ideia sem fundamento de que a amizade entre homens é muito mais real e verdadeira do que a entre mulheres. Dizem que os caras são parceiros de verdade, que não abrem mão da amizade, que não julgam o outro ou questionam quem o outro é. Isso, além de não ser saudável – temos que questionar nossos amigos quando eles estão errados -, não é verdadeiro.

Mulheres criam parcerias fortes, laços inquebráveis e seguem juntas por uma vida toda, mesmo falando a verdade, questionando e criticando a amiga. Isso é amor, não é?

8 - Mulheres julgam as outras

Talvez esse seja a maior invenção de todas. A gente é mil vezes mais dura com a gente mesma do que com a outra mulher. Aceitamos os erros e escorregões das nossas amigas, estendemos as mãos para ajudá-las a levantar e nunca mais tocamos em assuntos que machucam. Somos compassivas (aliás, esse é o tema da nossa trilha do mês!) com nossas amigas de uma maneira que não conseguimos ser com nós mesmas, já que nos cobramos uma perfeição inexistente.

Para ler

A série de livros que é aberta com o livro “A Amiga Genial”, da autora Elena Ferrante (Editora Biblioteca Azul) fala sobre a amizade de duas mulheres ao longo de suas vidas. As duas são opostos em comportamento e habilidades, mas se completam de maneira perfeita da infância até a vida adulta.


A assinatura mensal da Comum dá acesso a parte fechada, que inclui as trilhas, o fórum, encontros só pra comunidade (on e offline) e desconto em encontros abertos ao público. Você pode pagar R$40/mês ou financiar uma mina que não possa pagar, com R$80/mês. Saiba mais aqui.


Autocompaixão para mulheres: a primeira trilha da Comum

A trilha da Comum desse mês é sobre autocompaixão e autonomia afetiva pra mulheres. Vamos explorar o tema juntas, através de textos, vídeos, conversas no fórum e práticas. A trilha começa nessa semana, com esse texto, e estará disponível integralmente só pras assinantes. Se quiser saber como se tornar uma e participar dessa trilha e das próximas, clica aqui e vem com a gente. 


Carol Patrocinio é jornalista e divide seu tempo entre escrever para diversas publicações sobre assuntos relacionados ao mundo feminino e ao feminismo, seu canal no Medium e consultorias para negócios que querem falar com as mulheres.

Área de login
Bem-vinda, (First Name)!

Esqueceu a senha? Mostrar
Entrar
Acessar área logada
Meu perfil Não é usuária? Cadastre-se Sair