`

Minas nos Quadrinhos #4: sites para entrar de vez no mundo dos quadrinhos

Esse texto faz parte da série Minas nos Quadrinhos, um espaço pra gente falar de mulheres que estão revolucionando esse mundo e indicar leituras indispensáveis.

A internet é vasta. Então fiz uma curadoria de alguns sites com alguns links essenciais para quem quer estudar mais sobre o assunto.Tudo envolvendo quadrinhos e mulheres, claro.

E a um clique de você. Vamos lá.

1. Sites ou revistas

Lady’s Comics

Com o slogan “HQ não é só pro seu namorado”, as minas mostram a que vieram. É a fonte, migas. É só beber. No site, além de encontrar uma série de resenhas, reviews e dicas, elas também disponibilizam o BAMQ! (banco de mulheres quadrinistas), que a Cris comentou no vídeo aqui do post. Elas também estão com a publicação da Revista Risca, que está em sua primeira publicação.

Delirium Nerd 

Uma das minhas páginas favoritas da internet, com o slogan “Cultura e Nerdices sobre um viés feminista”. Acho os textos extremamente bem feitos, questionadores, com uma ótima pesquisa e curadoria por trás, opiniões lindas e sinceras. Só amor. Elas tratam de outros nichos do mundo nerd também, como cinema, séries, games, livros, etc. Tudo com uma perspectiva feminista, inclusiva e bem sensata. Eu particularmente gosto muito dos textos da Isabelle Simões.

Collant Sem Decote

Outra das minhas páginas favoritas. Além de ter um dos melhores nomes de site, eu amo a problematização dos textos e como eles chegam ao ponto. Assim como nos outros sites acima, você encontra textos sobre cultura do estupro, representatividade, sexismo, e tudo que permeia a cultura nerd por baixo dos panos. E se você ainda tem alguma dúvida, fica tranquila que no FAQ Nerd Feminista elas respondem suas perguntas.

Minas Nerds

Outro site que abrange vários aspectos da cultura nerd. Se você tem mais interesse em referências de quadrinhos de heroínas, vai na delas. Elas separam sua sessão de HQs em HQ e HQ Arte. O que é bom, já que você pode pesquisar pelo tipo de quadrinho que mais te interessa. Gosto muito das resenhas e opiniões do site também.

Capitolina

É uma revista online independente para garotas adolescentes. A revista tem a intenção de estabelecer um diálogo honesto com as leitoras, sendo acessível e interessante de forma inclusiva, sem restrições de classe social, raça, orientação sexual, aparência física, ou qualquer outra forma de interesse. É puro amor! Também publicam conteúdo autoral e muitos textos e resenhas bacanas.

A Farpa

A proposta da Farpa é fazer uma publicação com conteúdo feito por mulheres cis e trans, além de editada por mulheres. Inclui poetisas, articulistas, jornalistas, quadrinistas, ilustradoras, fotógrafas, ampliando o espectro das publicações produzidas por mulheres e com conteúdo feito por mulheres. A Farpa quer ser alguém presente, uma farpa na unha das publicações, dos prêmios e de todos os modos de divulgação que, predominantemente, acabam tendo maioria masculina nas produções.

Pagu Comics

Esse último não é um título, mas sim todo um selo de publicação focado em trabalhos feitos exclusivamente por autoras mulheres aqui no Brasil.Vale a pena acompanhar as publicações! Sua mais recente publicação é o “Empoderadas” de Germana Viana.

2. Grupos e páginas de Facebook

Mãe Solo: Diário de bordo de uma mãe sobrecarregada

Mandíbula: Quadrinhos postados diariamente por 7 mulheres. Com Laura Athayde, Renata Rinaldi, Aline Lemos, Catharina Baltar, Natália Matos, Tic Perfeito e Isadora Zeferino.

O Banquete: Outra página de tiras diárias com várias colaboradoras.

Zine XXX:  Zines e Quadrinhos de minas e pessoas LGBT.

ZiNas: Coletivo de artistas, designers, quadrinistas e/ou experimentalistas das artes gráficas interessadas em feminismo, quadrinhos e cultura underground.

Desenho das Minas: grupo voltado para a divulgação e discussão de desenhos, ilustrações e quadrinhos feitos por mulheres.

Mulheres em Quadrinhos: grupo destina-se à discussão das problemáticas de gênero nos quadrinhos, estendendo-se a outras mídias conforme o interesse, bem como à representação da mulher e sua atuação nesse meio como leitora e autora.

Cosmic

Última dica é o Cosmic. Ele é como se fosse o netflix dos quadrinhos. Tem de tudo, entre trabalhos premiados de autores nacionais até histórias curtas lançadas de forma independente. Em segundo lugar, o que me surpreendeu foi a velocidade de carregamento das páginas e a qualidade da imagem. Se você tem preguiça de ir atrás de todos esses títulos que eu falei, vai lá, faça o teste gratuito de 15 dias e veja o que te apetece. Quadrinhos são que nem filmes ou livro: sempre vai ter um gênero que te agrade.  

Espero que você tenha gostado das dicas e comece a ver quadrinhos com outros olhos a partir de agora.

Se você quer citar algum título, site, selo ou autora muito boa que não apareceu aqui, posta nos comentários, a graça de uma comunidade como a Comum é que todas participamos dessa construção.

Seguimos explorando novos mundos, juntas.


A assinatura mensal da Comum dá acesso a parte fechada, que inclui as trilhas, o fórum, encontros só pra comunidade (on e offline) e desconto em encontros abertos ao público. Você pode pagar R$40/mês ou financiar uma mina que não possa pagar, com R$80/mês. Saiba mais aqui.


Luiza de Castro trabalha como colorista em cinema e vídeo, além de ser a videomaker da Comum. Tem focado seu trabalho cada vez mais em temas sociais e que auxiliem outras pessoas. Amante de cor, cinema, fotografia, muitas nerdices e fofurices. Adora aprender coisas novas, valoriza pessoas e sempre topa uma cerveja ou um café para seguir com conversas e abrir diálogos. 

Área de login
Bem-vinda, (First Name)!

Esqueceu a senha? Mostrar
Entrar
Acessar área logada
Meu perfil Não é usuária? Cadastre-se Sair