`
Sentry Page Protection

Criando um jardim comestível na cidade

Jardins comestíveis são espaços criativos que integram produção de alimentos, flores, ervas medicinais e ornamentais variadas. Este tipo de jardim expande o conceito de horta produtiva para aspectos atraentes às pessoas no sentido de estar, contemplar, colher e observar a fauna se aproximando. Eu também chamo esse lugar de “jardins atraentes”. É uma ótima pedida para aquelas pessoas que querem ter algum verde em casa, mas não sabe como começar e tampouco como mantê-las.

Mesmo com pouco espaço é possível plantar e para isso você precisa de um tanto de ousadia e criatividade. Nada como um bom obstáculo pra gente se sentir desafiado e criar inovações. Ao contrário do que muita gente pensa, nas cidades existe uma fabulosa quantidade de resíduos que podem ser transformados em adubos, terra boa e recipientes criativos. Siga estas dicas e comece seu experimento; afinal, plantar sempre vale a pena.

Conseguindo substrato

O substrato é aquela terra que você vai usar para plantar. Busque no seu circulo de amizade aquela amiga que tem casa com quintal ou sítio e que não vai se importar de doar algumas pás de terra. Uma coisa que sempre faço é ir com meu vasinho em algum parque ou viveiro municipal onde a terra abunda de graça. A última opção é recorrer às casas agrícolas ou viveiros para comprar terra compostada ou composto orgânico.

Onde plantar

Analise seu espaço, interno e externo, para descobrir que condições você tem ou pode criar para escolher suas plantas. Existem plantas para todos tipos de condições então não existem fatores limitantes. Anote por exemplo quantas horas de sol você tem nas janelas, varanda, lavanderia, porta de casa etc. Se tiver quintal, ótimo; se não, vá em frente e busque um recipiente de plantio. Vale (quase) tudo: garrafas velhas de café, pet, mochilas velhas (isso mesmo, fica lindo) vasos de cerâmica, latas, panelas, potes plásticos, caixas de leite e uma infinidade de coisas. Fique atento para não usar recipientes contaminados com químicos e faça pequenos furos no fundo para excesso de água.

No fundo do recipiente coloque uma camada de drenagem da umidade: pedrinhas, cacos de cerâmica ou seixo.

Acima da drenagem coloque a terra para plantar deixando um espacinho de 2 a 5 cm antes da borda do vaso. Esse espaço restante fica para colocar cobertura vegetal seca que vai manter sempre a umidade da irrigação. Use algum destes materiais como cobertura: palha, folhas secas trituradas, pó-de-serragem (curtido), esterco, grama cortada e até papelão ou jornal picotado.

O que plantar

Ervas e hortaliças fáceis de cultivar: cebolinha, salsa, coentro, alecrim, manjericão, orégano, tomatinho cereja, mostarda. Rabanete, agrião, rúcula, capim santo, cidreira, gengibre, alho-poró, couve.

Para as mais atrevidas tente: ervas medicinais, berinjela, maracujá, pimentas, pimentão, gengibre, pepino.

A regra é tentar conhecer as necessidades das espécies conversando com jardineiros, amigos e na internet (claro!): profundidade do vaso, necessidade de sol ou sombra e irrigação. Seja paciente e aprenda com o desenvolvimento do seu jardim.

Boa colheita!


Leslhiê Medeiros da Silva é natural de Roraima, técnica agrícola e agente em sustentabilidade. Largou tudo e se aprofundou cada vez mais na Permacultura, viajando e trabalhando em alguns países da América do Sul e América Central. Atualmente está percorrendo o Brasil com o projeto “Permambulante”.

Leslhiê Medeiros da Silva

Leslhiê Medeiros da Silva é natural de Roraima, técnica agrícola e agente em sustentabilidade. Largou tudo e se aprofundou cada vez mais na Permacultura, viajando e trabalhando em alguns países da América do Sul e América Central. Atualmente está percorrendo o Brasil com o projeto “Permambulante”.

 

Área de login
Bem-vinda, (First Name)!

Esqueceu a senha? Mostrar
Entrar
Acessar área logada
Meu perfil Não é usuária? Cadastre-se Sair