`
Sentry Page Protection

#5 Mapeando habilidades internas

woman-in-splashing-water.jpg

Nesse ano, resolvi me libertar das resoluções pro ano que vem.

Sempre fui de fazer listas bem objetivas, com o que queria desenvolver, aprender, realizar. Mas esse ano não.

Não que as listas sejam vilãs. Mas no meu caminhar, estou treinando outra coisa. Um olhar de que está tudo bem como está, de que nada precisa, necessariamente, ser modificado e resolvido.

"Quando a nossa percepção de autovalor é baseada em ser um ser humano intrinsecamente merecedor de respeito, ao invés de não atingir certos ideais, nossa percepção de autovalor é muito menos vulnerável."
- Shilagh Mirgain -

Nesse contexto de contentamento e tranquilidade, se brotar a vontade e a importância de alguma transformação, ótimo. Ela vai acontecer da melhor forma possível. Se não, tudo bem também: não haverá julgamentos, crítica dura nem frustrações.

Esse ano, ao invés de buscarmos ser extraordinárias e especiais, desejo que a gente pratique encontrar a beleza e alegria no ordinário. 

Também, ao ao invés de uma lista de coisas a alterar e conquistar, sugiro que a gente faça, ainda esse ano, um mapa de habilidades internas. De qualidades, coisas que podemos ver como potências reforçadas durante 2016 ou adquiridas nele, e que, entra ano e sai ano, seguirão aqui com a gente. Recursos internos que temos, e que podemos usar sempre que quisermos, além de podermos oferecer pros outros. Como armas secretas.

A ideia aqui é que os recursos estão dentro, não fora. E as qualidades internas são perenes e valiosas, e não só as conquistas objetivas que tivemos no ano.

Então, a prática do dia é responder a seguinte pergunta, em escrito, esquema, lista ou desenho - da forma como você preferir expressar:

Quais são as 5 qualidades que reforcei ou adquiri em 2016 que são potências minhas, e que, entra ano sai ano, seguirão aqui?

Pra responder essa, vale a pena rever o vídeo da Carol Bertolino - Reconhecendo qualidades internas - que fez parte da trilha de autocompaixão.


Anna Haddad é fundadora da Comum. Escreve pra vários veículos sobre educação, colaboração, novos negócios e gênero, e dá consultorias ligadas à comunidades digitais e conteúdo direcionado pra mulheres.

Área de login
Bem-vinda, (First Name)!

Esqueceu a senha? Mostrar
Entrar
Acessar área logada
Meu perfil Não é usuária? Cadastre-se Sair