`
Sentry Page Protection

#7 As várias camadas da nossa fome

Nossa fome é mais complexa do que a gente imagina.

Ela não é só fisiológica, nem somente emocional. Ela vem de vários estímulos, emoções, reações bioquímicas — que variam conforme o nosso estado, contexto e nossas escolhas alimentares e que, assim, se retroalimentam numa dança complexa e bonita de se ver.

Neste vídeo, a Melissa Setubal fala um pouco desse sistema inteligente, rebuscado e vivo que é o nosso corpo.

Dessa visão mais profunda da nossa fome — de que é tudo fluido e de que estamos em constante movimento e interação com o meio — depreendemos também que não existe solução simples para barrá-la.

Precisamos parar de chapar a fome que sentimos, os nossos impulsos. De reprimi-los, condená-los, como se eles fossem errados ou burros, ruins. Precisamos olhar para eles com menos julgamento e mais curiosidade, como se eles fossem, de certa forma, bons professores.

Cada impulso conta uma história e aponta um caminho.

Nossa fome é, antes de tudo, ferramenta.

Vamos juntas nessa exploração. Te encontro no fórum.


Anna Haddad é fundadora da Comum. Escreve pra vários veículos sobre educação, colaboração, novos negócios e gênero, e dá consultorias ligadas à comunidades digitais e conteúdo direcionado pra mulheres.

Área de login
Bem-vinda, (First Name)!

Esqueceu a senha? Mostrar
Entrar
Acessar área logada
Meu perfil Não é usuária? Cadastre-se Sair