`

relacionamentos

#18 Novos arranjos de relacionamento — possibilidades e desafios

#18 Novos arranjos de relacionamento — possibilidades e desafios

A autonomia é esse lugar que possibilita que tenhamos uma base firme, que nos permita estar bem conosco mesmas, para além das circunstâncias externas. É também a partir dela que criamos novas possibilidades de interação mais lúcidas. É aí que entram tantos outros novos arranjos. 

#17 Cuidado ou responsabilidade? — de companheira à mãe numa mesma relação

#17 Cuidado ou responsabilidade? — de companheira à mãe numa mesma relação

Junto com o parceiro, o namorado, o marido, normalmente vem também a responsabilidade de colocá-lo nos trilhos e de zelar pelo seu bem-estar. Mas, afinal, qual o limite entre cuidar de um parceiro e ter de agir como mãe dele?

#16 Relacionamentos abusivos: como encontrar espaços de reflexão e transformação?

#16 Relacionamentos abusivos: como encontrar espaços de reflexão e transformação?

Não somos culpadas pelas pressões, opressões e agressões que os outros descarregam na gente. Mas podemos entender por quais fendas deixamos que essas pessoas entrem, em que parte da gente permitimos que eles criem morada. E, a partir desse lugar, olhar com mais lucidez para as relações que travamos. 

#14 Sua autonomia afetiva abraça a autonomia afetiva de outras pessoas?

#14 Sua autonomia afetiva abraça a autonomia afetiva de outras pessoas?

Mas, afinal, será que desejamos também a autonomia afetiva dos outros ou estamos olhando apenas para a nossa? Se olharmos para dentro com honestidade, muitas das vezes não desejamos. E tudo bem. O intuito aqui não é que lancemos mão de mais um peso que temos de carregar nas costas, mas que notemos de onde vem esse sentimento. Esse vídeo da Stela Santin é uma forma bonita de começar. Vamos? 

#2 O mito do amor romântico  —  a industrialização da felicidade

#2 O mito do amor romântico  —  a industrialização da felicidade

Ainda somos educadas para acreditar na promessa de que um dia encontraremos o amor verdadeiro, que é uma pessoa que vai suprir absolutamente todas as nossas necessidades e com quem ficaremos para todo o sempre, em uma felicidade absoluta e inigualável. Mas esse mito nos oprime e aprisiona. Para trilhar um caminho de autonomia afetiva, é preciso desconstruí-lo. 

Autonomia afetiva e relações: por que esse foi o tema escolhido para a próxima trilha

Autonomia afetiva e relações: por que esse foi o tema escolhido para a próxima trilha

Fomos — em grande maioria — criadas para encontrar uma relação. Não só uma relação, mas uma que perdure ao longo dos anos. A noção de amor romântico, e, em sequência, a de família nuclear, permeia toda a nossa existência. Mas como podemos achar nosso eixo interno e cultivá-lo, para que tenhamos relacionamentos mais lúcidos e para que estejamos bem com a gente mesma? A próxima trilha da Comum vai ser uma jornada por essa temática. 

Área de login
Bem-vinda, (First Name)!

Esqueceu a senha? Mostrar
Entrar
Acessar área logada
Meu perfil Não é usuária? Cadastre-se Sair